Setembro Amarelo

Não deve ser novidade para nenhum fã do Shinedown, que o quinto álbum de estúdio, 'Attention Attention', conta a história de uma jornada mental, emocional e física do personagem que supera seus momentos mais sombrios e sua evolução é visivelmente percebida a cada música.

E neste mês mundial de prevenção do suicídio, conhecido como Setembro Amarelo, resolvemos deixar o nosso apoio à causa em nosso site, relembrando alguns comentários sobre a conscientização sobre a saúde mental realizados pela banda em entrevistas e também as mensagens em suas músicas.

45:
Quando o single '45' do álbum de estreia 'Leave A Whisper' foi lançado, a banda recebeu muitos comentários sobre o que a música realmente se tratava. O seu clipe, por exemplo, foi recusado a ser exibido no canal da MTV por conta do refrão que diz 'Eu estou olhando para o cano de uma 45', mas no caso, a letra não tem a mínima referência à arma ou até mesmo suicídio, pois se trata de uma metáfora.

Confiram a explicação dessa metáfora nas palavras do vocalista Brent Smith:
Eu acho que muitas pessoas tomam um sentido literal por causa das letras - mas a música é basicamente sobre o dia em que você acorda, se olha no espelho e finalmente decide que você quer se sentir confortável em sua própria pele e percebe que você vai ter que se fazer feliz antes de fazer qualquer outra pessoa feliz. Basicamente, 45 não é sobre o sentido literal de uma arma, eu usei isso como uma metáfora para o mundo, o 45 é na verdade, o mundo e o que lhe entrega todos os dias da sua vida.

Quando você se levanta, é um presente estar vivo. Quando falei sobre isso, eles disseram: "Você realmente quer dizer isso?" E eu, 'Sim'. Porque eu estive nessa situação onde eu não sabia se queria continuar e não sabia como necessariamente me sentir confortável com quem eu era, tentando encontrar uma maneira de aprender mais sobre mim. Às vezes, você não teve um bom momento, e essa é realmente a realidade da música. É sobre superar e sobre seguir em frente. E é basicamente sobre entender que nem sempre vai ser bom, mas você realmente não tem ninguém para culpar por si mesmo, se você não segue em frente. É aí que vem a frase, "Ninguém sabe o que eu acredito", porque somos todos indivíduos. Então, é realmente sobre seguir em frente, de verdade.

Bully:
Com 'Bully', o primeiro single do álbum 'Amaryllis', o Shinedown falou a respeito do bullying, o assédio psicológico e físico que também é visto como uma das causas do suicídio no mundo.

Assim que o single foi lançado, o guitarrista, Zach Myers, resolveu compartilhou no Facebook, a história de quando ele sofreu de bullying ainda na escola, leia a tradução aqui.
E em uma entrevista realizada em 2012, ele comentou:
Se alguém está abusando mentalmente ou fisicamente de você, empurre. Seja mais esperto que eles. Seja maior. Nem sempre você tem que ir embora. Às vezes você tem que se levantar por si mesmo. Nunca desista de seu amor-próprio por alguém que é mais ignorante do que você.
Vale reforçar que ao falar sobre o assunto, a banda não teve intenção em conduz violência e sim a sobrevivência.

Get Up:
O single mais recente, 'Get Up' do álbum 'Attention Attention' traz uma mensagem poderosa sobre a saúde mental e a mesma foi escrita pelo vocalista Brent Smith sobre a depressão que o baixista Eric Bass enfrenta.

Para Brent, escrever a letra da música foi uma das coisas mais difíceis para ele, pois estava preocupado com o que Eric iria achar. Em entrevista, o vocalista comentou o quão importante é entender e respeitar sobre o assunto:
É apenas o fato de que algumas pessoas não têm ninguém com quem conversar. Muitas vezes, as pessoas que sofrem de depressão clínica nunca querem sentir que estão incomodando os outros. Há momentos em que você tem que ser aquele que vê o que está acontecendo e simplesmente caminha até aquela pessoa com quem você se importa e diz à ela que você está lá por ela e que quer conversar sobre o que está acontecendo. Eu não tenho diploma. Quer dizer, eu não sou médico, mas eu me importo.
E para encerrar o post...
Recentemente, em entrevista ao site Salon, Eric comentou de forma profunda sobre o assunto e deixou uma mensagem que serve para todos:
Não discrimine. Não importa qual seja a sua idade, raça, situação econômica social. Isso vai te derrubar e quando você estiver tendo um episódio depressivo ou triste, isso não importa. Nada disso importa. Você não pode nem mesmo dar às pessoas uma razão, porque você não sabe o motivo de se sentir assim. Essa é a coisa mais triste para o sofredor e a coisa mais frustrante para a pessoa que está o vendo sofrer. (Leia mais, clicando aqui)
Caso você esteja precisando de ajuda - e/ou não tenha ninguém para conversar sobre isso - no Brasil, o Centro de Valorização da Vida tem voluntários que atendem gratuitamente no chat ou telefone (ligue 188 - 24 horas).