CelebMix: Entrevista exclusiva com Brent Smith #1

Em recente entrevista ao site CelebMix, o vocalista Brent Smith conversou sobre o álbum 'ATTENTION ATTENTION', o single 'GET UP', sucesso e sua vida pessoal. Nós dividimos a matéria em duas partes e abaixo, vocês podem conferir a primeira parte.

Tradução:
Quando chegou a hora de lançar o álbum sucessor de Threat to Survival (2015), o vocalista e principal letrista, Brent Smith, teve a missão de criar o trabalho mais pessoal da banda até o momento.

Enfrentando tópicos relevantes no mundo de hoje, incluindo saúde mental, os efeitos negativos das mídias sociais e superando o medo, ATTENTION ATTENTION narra a jornada de um indivíduo na luta contra seus demônios - uma história que tem se conectado com fãs de todo o mundo. O último single da banda, GET UP, vem ressoando com os ouvintes desde o seu lançamento, acumulando mais de 20 milhões de transmissões até o momento.

Priorizando a honestidade e a autenticidade em suas músicas, o mais novo álbum de Shinedown ilustra parte do motivo pelo qual eles são um dos grupos de Rock de maior sucesso nas últimas duas décadas. O CelebMix teve a chance de falar com Brent Smith sobre algumas das experiências de vida que vieram ao fazer seu álbum mais importante até agora.

Com o 'Attention Attention' sendo o seu álbum mais pessoal até hoje, você pode me falar como foi o início desse álbum para você?
Acho que o grande foco da música nesse álbum em particular, tem muito a ver com a maneira como gravamos o álbum e com o fato de que esse foi provavelmente o álbum mais pessoal que fizemos até hoje. O único outro álbum que tem tanta força, provavelmente teria sido o 'The Sound Of Madness' (2008). A realidade era que, com esse álbum, Eric Bass, o baixista do Shinedown, que é muito mais do que um baixista, porque ele não só produziu o álbum, mas também foi o principal engenheiro do álbum, um dos principais compositores junto comigo - e ele também o mixou. Este ano inteiro tem sido, eu não quero dizer que tem sido um renascimento da banda, mas a arquitetura do álbum e a forma como apresentamos o álbum foi diferente. Nós tínhamos o controle total e confiança da nossa gravadora, a Atlantic Records, porque começamos a falar com eles muito cedo, e eu disse à eles no começo de 2017: "Eu tenho uma visão para esse próximo álbum, eu só preciso que você não me dê limite de tempo e confie em mim sobre isso", e eles sendo as duas pessoas incríveis que eles são, disseram, "Absolutamente, assim como você está progredindo, nos deixe saber quando podemos ajudá-lo e quando você acha que o álbum será lançado". Houve muito trabalho e muito planejamento para esse álbum, mas para ser honesto com você, sendo este o primeiro ano com o álbum, nós estamos apenas começando.

Você descreve “GET UP” como o ponto de virada do álbum, como isso o guiou para o que o álbum seria?
Bem, uma coisa sobre os fãs, se você já sabe quem é Shinedown agora, sabe que a única coisa que você sempre receberá de nós é a honestidade. Não importa o que seja, não importa onde estamos em nossas vidas. Nós escrevemos músicas sobre as coisas que conhecemos, as pessoas que conhecemos, os lugares em que estivemos, as situações em que estivemos, é tudo um fator de viver a vida e entender onde estamos chegando. Tudo é construído em torno da experiência. Nós tivemos muita sorte que o público sempre nos permitiu sermos nós mesmos. Eles nos deram uma plataforma, mas sabem que não fazemos qualquer coisa, porque quando se trata dessa banda, nós escrevemos o que sabemos. Se estamos sendo retidos para fazer algo para um filme, evento esportivo ou até mesmo um programa de televisão, já existe um formato definido nessas situações, então vamos escrever para isso, mas quando se trata de Shinedown, como um todo, quando estamos fazendo um álbum, é onde estamos naquele momento em nossas vidas. E honestamente, isso remonta ao que eu disse há pouco, este é um álbum muito positivo para nós.

Muito disso começou com a música "GET UP", porque eu a escrevi sobre o Eric e foi interessante porque nos processos de escrita do álbum, o qual aconteceu em janeiro de 2017, nós passamos por diferentes ideias de riffs, buscamos material mais pesado e alguns deles tiveram uma melodia mais agitada, mas para ser honesto com você, eram chatos.Eu não gostei. Eu pensei como se tivéssemos estocando, elas não tiveram nenhuma integridade, estavam soando como algo que já ouvimos antes. Então, eu e Eric nos encontramos e ele me disse "Eu tenho um pedaço de música no piano que ainda não te mostrei." E eu o pedi para me mostrar e aquilo se tornou "GET UP". Na primeira vez que ele tocou, eu me lembro de ter escutado e depois de algumas horas disse à ele "Faz uma demo para que eu possa levar ao hotel". Então ele a gravou e normalmente eu sou bem rápido com as letras, já que sou o principal letrista da banda, dentro de 24 a 48 horas eu deveria ter feito algo. Mas eu não voltei ao estúdio por 11 dias. Quando eu finalmente cheguei ao estúdio, eu tinha a música totalmente escrita, nós separamos os vocais, ele juntou tudo, e eu o perguntei "Quanto tempo você precisa para terminar a demo?", ele me disse que no próximo dia, cerca das 15 horas, então no outro dia ele me chamou e disse "Eu terminei, vem aqui". Quando eu cheguei no estúdio, ele me mostrou e quando tocou novamente. Me lembro que na segunda vez, eu virei e o perguntei "Você sabe sobre o que é, certo?" e ele respondeu "Sim, é sobre mim".

E meu coração caiu no chão por um momento porque eu pensei que tinha acabado de cruzar uma linha muito severa em nossa amizade. Eu não fiquei nervoso sobre isso, mas eu estava definitivamente apreensivo, então eu disse "Quer saber de uma coisa, Eric... me desculpe. Vamos continuar outra coisa, nós apenas agiremos como se nunca tivéssemos feito isso juntos." Então ele "Brent, acalme-se, cara. Eu amei isso, ficou incrível. Eu acho que está exatamente como precisa. Mas se vamos fazer isso, então teremos que ser extremamente honestos e muito sinceros." Porque a realidade é que Eric lida com algo chamado depressão clínica e isso não é algo em que ele tem de vez em quando, ele lida com isso diariamente e pela maior parte dos 10 anos, eu, Zach e Barry o vimos passar por isso. A realidade foi o que “GET UP” se tornou, não só pelo álbum, mas para nós como uma banda, sendo capaz de colocar algo a público que era tão genuíno e autêntico, tinha muito a ver com a inspiração, como Eric foi para mim liricamente.

Depois que escrevemos "GET UP", essa foi o ponto de partida para o resto do álbum, porque "DEVIL" veio em seguida, e então "DARK SIDE", "special", "BRILLIANT". "MONSTERS", e "BLACK SOUL", e assim por diante, porque o álbum não é um álbum conceitual tradicional, mas é uma história. É também sobre o fato de que aquela linha que eu estava com tanto medo de cruzar com ele (Eric), porque era tão pessoal, acabou sendo removida por ele. Nada estava fora dos limites. É realmente um álbum sobre não ter medo de falhar e utilizar seus fracassos como parte de você para melhorar as coisas e apenas viver a vida. Você precisa se deixar falhar para saber o que fazer da próxima vez. Porque você não será definido pelos seus fracassos, você será definido pelo fato de ter se recusado a desistir.

Então, com o público, eles sabem o quanto estamos empolgados sobre isso e isso trouxe definitivamente um grupo demográfico muito mais jovem em nossa base de fãs, e com razão, porque a geração mais jovem está sob um microscópio agora, sabe? Aquele pedacinho de plástico preto no bolso agora. Se você quer uma plataforma, você tem uma opinião, o mundo é seu. Se você está procurando por algo a reclamar, a mídia social estará disponível para você até que não exista mais. O fato é que, se você está procurando negatividade por aí, é muito fácil de encontrar. Se você está procurando por positividade, descobrir maneiras de se construir de verdade e fazer parte de uma solução, em vez de parte do problema, terá que procurar muito mais para isso.